Quantos batimentos por minuto?

Perguntado por: lteixeira . Última atualização: 16 de julho de 2022
4.4 / 5 11 votos . 3 colaboradores . 787 visualizações

“A frequência cardíaca de uma pessoa varia ao longo de um mesmo dia, em virtude de diversos fatores, como alimentação, sono, medicamentos, atividades física ou mental, expectativa e até por crises de ansiedade. A quantidade normal de batimentos é de 50 a 90 batimentos por minuto (bpm)”, explica o cardiologista.

Em repouso, a frequência cardíaca normal de uma pessoa varia entre 60 e 100 batimentos cardíacos por minutos (bpm), acima disso, é considerada taquicardia, popularmente chamado de coração acelerado.

A unidade utilizada para a medição do ritmo do miocárdio corresponde aos batimentos por minuto ou bpm. Entre os médicos, é consenso adotar como referência o intervalo entre 60 bpm e 100 bpm, que é considerado normal para adultos em repouso ou realizando tarefas corriqueiras.

Uma frequência cardíaca perto dos 180 bpm é sinal de alerta total e perigo de morte.

A frequência cardíaca normal é de 50 bpm a 100 bpm. No entanto, quando os batimentos estão em 100 bpm em repouso, são considerados altos; abaixo de 40 por minuto em repouso, considerados baixos.

A bradicardia é o ritmo cardíaco irregular ou lento, normalmente com menos de 60 batimentos por minuto. Nesse ritmo, o coração não consegue bombear o sangue rico em oxigênio de forma suficiente para o seu corpo durante uma atividade ou exercício físico.

Não é normal, pode estar aumentado após atividade física, quadros de ansiedade ou estresse agudo, problemas cardíacos ou respiratórios, entre outros. Procure um Clinico geral ou Cardiologista para melhor avaliação e conduta.

Quando em repouso, a frequência cardíaca considerada normal não deve ultrapassar 100 bpm. Acima desse valor a frequência cardíaca é considerada taquicardia, sendo importante se consultar com um médico.

Taquicardia é um aumento da frequência cardíaca, mais de 100 batidas por minuto, que pode tanto começar nas câmaras inferiores do coração (ventrículos) quanto nas câmaras superiores (átrios). Com estes ritmos elevados, o coração não consegue bombear eficientemente o sangue rico em oxigênio para o resto do seu corpo.

A frequência cardíaca pode variar muito, mas normalmente situa-se entre 60 bpm e 100 bpm num indivíduo em repouso ou atividades habituais. Para um indivíduo adulto em repouso, uma frequência cardíaca de 100 bpm, persistentemente, pode ser considerada alta.

A quantidade normal de batimentos é de 50 a 90 batimentos por minuto (bpm)”, explica o cardiologista. O especialista ressalta que evitar as arritmias ainda é a melhor maneira de impedir morte súbita ou derrames causados pela doença.

No pulso, basta colocar o dedo indicador e médio esticados sobre o pulso, logo abaixo da base do dedo polegar. Se for no pescoço, você também pode colocar o dedo indicador e médio na lateral do pescoço, próximo de uma veia carótida, pressionando levemente até sentir a pulsação.

Abaixo desse valor, quando ocorrem batimentos cardíacos lentos ou a pessoa apresenta sintomas como tonturas, escurecimento visual, desmaios, sente-se cansada e frequentemente ofegante, ela deve procurar um cardiologista para definição do diagnóstico.

Considera-se batimento cardíaco acelerado quando a pessoa tem mais de 100 batimentos por minuto. Se for um episódio de início agudo e duradouro, associado ou não com sintomas como fraqueza, tontura, desmaios e falta de ar, a pessoa deve procurar atendimento médico de emergência.

Esta condição é causada pelo envelhecimento natural do tecido cardíaco, por lesões no coração causadas por ataques cardíacos, por doenças congênitas na formação do coração, por infecções chamadas miocardites (que ocorrem no tecido muscular cardíaco), por hipotireoidismo, complicações de cirurgias cardíacas, ...

No caso de se identificar uma diminuição dos batimentos cardíacos, é recomendado procurar um cardiologista para avaliar as queixas da pessoa e definir o tratamento da bradicardia, de forma mais adequada.

Se o seu coração bate menos de 60 vezes por minuto, ele é considerado mais lento do que o normal. Isso é chamado bradicardia e tanto pode significar um problema cardíaco grave como apenas uma adaptação fisiológica.

Ultrapassar sua Fc máx pode explodir o coração? Fique tranquilo porque isso não acontecerá. Em um determinado ponto, o coração não terá capacidade de bombear o sangue com tanta eficiência, não será mais eficiente.

O excesso de estresse é a causa mais comum de palpitações cardíacas e acontece porque, em situações de estresse, nervosismo ou ansiedade, o organismo libera adrenalina, um hormônio que aumenta a frequência cardíaca, tornando mais fácil sentir os batimentos do coração.

"Usualmente, a arritmia tem uma característica que diferencia da ansiedade: quando o coração dispara, tem taquicardia. Esse disparo é muito súbito e, quando volta ao normal, também volta de forma muito súbita. Já na ansiedade esse aumento e retorno à normalidade é mais gradual.