Quais remédios grávida pode tomar?

Perguntado por: aparis . Última atualização: 15 de julho de 2022
4.8 / 5 17 votos . 12 colaboradores . 1037 visualizações

Medicamentos Permitidos na Gravidez

  • Paracetamol (recomendado para dores de cabeça e gripes)
  • Cefalexina (antibiótico para infecções)
  • Ácido fólico ou Metilfolato.
  • Vitamina D3.
  • Buscopam simples (para dores abdominais em geral)
  • Metildopa (para gestantes hipertensas)

Se a gestante tomou algum medicamento no período em que ainda não sabia que estava grávida deve informar o obstetra de imediato acerca do nome e quantidade do medicamento usado, para verificar a necessidade de fazer exames mais específicos, para avaliar a saúde do bebê e da própria mãe.

Os medicamentos contra a dor mais seguros para usar durante a gravidez são o Paracetamol e o Sumatriptano, sendo importante lembrar que esses medicamento devem sempre ser tomados apenas de acordo com a orientação do obstetra.

Inclusive um simples resfriado, que em qualquer outro momento não teria muita importância, durante a gestação é um motivo de preocupação, principalmente se acompanhado de febre.
...
Totalmente seguros durante a gestação.

  • Ácido ascórbico.
  • Cálcio, exceto Acetato.
  • Ácido Fólico.
  • Ferro (II)
  • Potássio.

vício em álcool e em drogas ilícitas; uso de medicamentos abortivos, como anti-inflamatórios e antibióticos, ou chás de ervas medicinais sem orientação médica; baixo peso ou excesso de peso; doenças crônicas.

Segundo a ginecologista e obstetra Maria Augusta Tamm, nos primeiros dois trimestres de gestação, o ibuprofeno é classificado no grupo B, ou seja, não demonstra risco em estudos com humanos. Dessa forma, se houver necessidade, o médico pode receitar a dose mínima recomendada para a gestante.

Segundo a ginecologista e obstetra, Maria Augusta Tamm, o uso da dipirona não é proibido para gestantes. "A dipirona não está relacionada diretamente às malformações maiores ou menores no feto", esclarece a especialista em reprodução humana do Grupo Huntington.

Dipirona. A dipirona também está na lista de analgésicos permitidos durante a gravidez. No entanto, esse remédio só pode ser utilizado se a mulher estiver entre o 4º e o 6º mês de gestação, sendo contraindicado no primeiro e no último trimestre da gravidez.

Se alguém ingerir uma quantidade elevada, podem surgir náuseas, vômito, dor abdominal, comprometimento da função renal, vertigem, sonolência, queda brusca da pressão arterial e arritmia cardíaca. “Mas isso só acontece em doses muito altas”, tranquiliza Pereira.

No geral, a dor de cabeça é só um sintoma chatinho da gravidez, mas ainda assim é preciso acompanhar com cuidado. É que Zlotnik explica que a dor associada a outros sintomas, como pressão alta, enjoo e alterações visuais, podem ser sinal de pré-eclâmpsia –pressão arterial elevada na gestante.

A dor de cabeça na gravidez pode indicar um problema mais sério? Em algumas situações, a dor de cabeça pode ser sinal de um problema mais grave, principalmente se houver outros sintomas também. Os sintomas acima podem indicar pré-eclâmpsia, um problema que exige monitoração para que você e o bebê não corram riscos.

O que as grávidas devem evitar no primeiro trimestre?

  • Não utilizar qualquer medicamento sem orientação médica;
  • Não consumir bebidas alcoólicas ou cigarro;
  • Evitar o consumo excessivo de chás e cafeína;
  • Atividades físicas devem ser orientadas por um profissional;
  • Evitar comer alimentos crus, como carne, peixe e ovos;

ácido fólico

Vitaminas na gravidez: quais são essenciais
Os dois suplementos nutricionais que são recomendados durante a gravidez são o ácido fólico e a vitamina D1. O ácido fólico é recomendado, inclusive, desde o momento em que a mulher decide engravidar.

A placenta começa a se formar e rapidamente os órgãos do bebê são desenvolvidos. Com tanto acontecimentos em tão pouco tempo, a futura mamãe deve ficar atenta e redobrar os cuidados durante essa fase, que também é a mais crítica para abortos e malformações decorrentes de doenças e deficiências nutricionais maternas.

O período mais delicado da gestação corresponde da primeira à 12º semana de gestação, justamente o primeiro trimestre sobre o qual falamos neste artigo. Isso porque é nessa fase que ocorre a formação dos órgãos do feto. Ou seja, é quando há maior risco de ocorrerem doenças ligadas a alterações genéticas.

A principal causa de abortos espontâneos, comuns nos três primeiros meses de gravidez, é a rejeição do sistema de defesa do organismo da mãe devido às características do embrião que vieram do pai, segundo um estudo feito na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Pois bem: estima-se que até 20% das gestações terminem em um aborto antes da 20ª semana. Entre elas, 80% ocorrem nas 12 semanas iniciais — fase que corresponde ao período embrionário (ou organogênese).

A superdosagem de 2 gramas a 3 gramas da substância, o equivalente ao consumo de mais de 50 comprimidos de uma vez, pode levar ao delírio, coma e até ao óbito.

Advil não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Durante os três primeiros meses de gravidez, não é recomendado o uso de qualquer produto de Dorflex® e Dorflex® Uno. No segundo trimestre, o uso só deve ocorrer após uma cuidadosa avaliação do médico. Nos três últimos meses, Dorflex® e Dorflex® Uno em qualquer apresentação não são recomendados.