Quais necessidades determinaram o Imperialismo?

Perguntado por: lmachado . Última atualização: 15 de julho de 2022
4.7 / 5 10 votos . 5 colaboradores . 700 visualizações

Portanto as necessidades que determinam o imperialismo são: fornecimento de matéria-prima de baixo custo, mercado consumidor para escoamento da produção e recepção de investimento. Para responder essa pergunta devemos colocar em prática nosso conhecimento sobre História.

Mas, conceitualmente falando, o Imperialismo do século XIX consistiu num tipo de política expansionista das principais nações europeias, que tinha por objetivo a busca de mercado consumidor, de mão de obra barata e de matérias-primas para o desenvolvimento das indústrias.

Entre os seus principais fatores estão a expansão industrial, o aumento na busca por matérias primas, crescimento na disputa por mercados consumidores e o crescimento da população europeia, entre outros.

O imperialismo é caracterizado por uma política de expansão de uma nação sobre outra, e sua manifestação no século XIX é chamada também de neocolonialismo.

Consequências do Imperialismo
Essa partilha criou territórios artificiais, aglomerou povos que não tinham contato e desestabilizou a ordem política do continente. O resultado dessa divisão artificial do continente foi os conflitos étnicos que resultaram disso.

Imperialismo é uma política de expansão e domínio territorial, cultural e econômico de uma nação dominante sobre outras.

É incorreto afirmar, sobre o imperialismo do final do século XIX: a) A unificação de Itália e Alemanha não se relaciona com as políticas imperialistas do período.

Nesse sentido, podemos falar de imperialismo moderno a partir da Segunda Revolução Industrial, entre os anos de 1850 e 1950. Antes disso, a prática do colonialismo era muito mais frequente, principalmente com as influências europeias nas Américas, África e Ásia.

Darwinismo Social
A partir de então, os europeus difundiram a ideia de que o imperialismo, ou neocolonialismo, seria uma missão civilizatória de uma raça superior branca europeia que levaria a civilização (tecnologia, formas de governo, religião cristã, ciência) para outros lugares.

Estabelecido por potências europeias, como Inglaterra, Alemanha, Holanda e França, além dos Estados Unidos e do Japão, o imperialismo foi uma medida expansionista, que pregava a interferência em outros territórios com o objetivo de garantir os interesses da nação soberana.

Nesse sentido, podemos falar de imperialismo moderno a partir da Segunda Revolução Industrial, entre os anos de 1850 e 1950. Antes disso, a prática do colonialismo era muito mais frequente, principalmente com as influências europeias nas Américas, África e Ásia.

Uma das principais características desse novo imperialismo foi a) o convívio pacífico entre africanos e europeus, com ampla extensão de direitos políticos e sociais aos primeiros, nas regiões colonizadas.

Uma das principais características da exploração africana no período imperialista era o crescimento do Eurocentrismo. E esse Eurocentrismo se definia por meio da força dos colonizadores que obrigavam os nativos a adotarem aspectos europeus, como cultura e religião características da Europa.

Além dos conflitos que ocorreram entre os povos dominados e os colonizadores, a expansão imperialista do século XIX trouxe outras sérias consequências. A maioria delas trágicas para os colonizados: empobrecimento, subdesenvolvimento e perda da identidade cultural.

A consequência para os povos nativos no Imperialismo foi a aculturação ou o extermínio. Se isolarmos a colonização do continente americano, observaremos que aqui foram implementados dois tipos de colonização: Exploração. Povoamento.

Na África houve segregação, pois os nativos eram proibidos de participar como cidadãos da vida colonial. As fronteiras dos impérios foram traçadas sem levar em conta as diferenças étnicas, linguísticas ou religiosas das populações autóctones, o que ainda provoca conflitos no continente africano.

O imperialismo ou neocolonialismo do século XIX se constituiu como movimento de domínio, conquista e exploração política e econômica das nações industrializadas europeias (Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Holanda) sobre os continentes africano e asiático.

Ver também

  • Império.
  • Império colonial.
  • Império Soviético.
  • Imperialismo cultural.
  • Imperialismo americano.
  • Imperialismo Asiático.
  • Imperialismo na África.
  • Conferência de Berlim.

O colonialismo é uma prática na qual um território exerce domínio político, cultural ou religioso sobre um determinado povo. O controle é exercido por meio de uma potência ou força política militar externa que deseja explorar, manter ou expandir seu território.

Além dos conflitos étnicos existentes, há também outros problemas causados pelo processo imperialista do século XIX nos países africanos, como, por exemplo, a miséria e as crises humanitárias vivenciadas pela população local.