Quais as vantagens em relação as questões ambientais com uso da biomimética?

Perguntado por: ymarinho2 . Última atualização: 15 de julho de 2022
4.9 / 5 18 votos . 13 colaboradores . 1043 visualizações

Estudos como a Biomimética, contribuem para melhorar tecnologias já existentes e, principalmente, desenvolver novas tecnologias que estejam em harmonia com a Natureza e, quando possível, também ajudem a regenerar o ambiente onde se encontra.

O aspecto relevante da Biomimética é reconhecer a importância de proteger os seres vivos da extinção, a fim de que não percamos as soluções da natureza que controlam a sobrevivência, que nós ainda não estudamos ou ainda não compreendemos.

O princípio da biomimética é utilizar a natureza como um exemplo e fonte de inspiração, e não de apropriação similar às práticas da biologia sintética (saiba mais aqui). A natureza deve ser consultada, e não domesticada, reforçando a ideia da sustentabilidade.

Citado pela primeira vez em 1997, por Janine Benyus, a biomimética começou a ser utilizada nas áreas de computação, engenharia e até mesmo na saúde. O maior objetivo da pesquisadora era resolver problemas cotidianos com inovações que não prejudicassem o meio ambiente. Por exemplo, com a redução de desperdícios.

Claro, o homem sempre copiou a natureza – em coisas simples e sofisticadas, como os aviões, que não passam da imitação de pássaros. A novidade de Janine foi propor essa inspiração como um método de trabalho, uma abordagem sistemática para resolver problemas.

Dinoturbinas
Com base nas extremidades pontudas e serrilhadas do animal extinto muitos anos antes de alguém pensar em turbinas de vento, o equipamento permite a redução de turbulência e também aumenta a eficiência da captação de energia por meio da rotação dos geradores eólicos.

A biomimética auxilia áreas como a saúde – ao traçar, por exemplo, possíveis relações entre o veneno de uma vespa e novas terapias contra o câncer –, reproduz a tecnologia da teia de aranha para a indústria da beleza, oferece à engenharia melhorias na eficiência energética por meio da observação do cupinzeiro ou do ...

A área da biomimética estuda os princípios criativos e estratégias da natureza, galgando soluções para os problemas atuais da humanidade, realizando a junção entre funcionalidade, estética e sustentabilidade.

O exemplo mais simples de solução criada com a biomimética é o velcro. Em 1941, o engenheiro George de Mestral foi inspirado pelos carrapichos, que grudavam na roupa e nos pelos de animais. No microscópio, ele notou que os pequenos ganchos da planta grudavam em qualquer superfície com “alças”.

Podemos também enxergar Matemática em uma "simples" fileira de formigas, que depositam feromônio enquanto andam; assim, na hora de voltar ao formigueiro, voltam pela menor rota possível, visto que o feromônio é altamente volátil e, somente no menor caminho será detectado uma maior concentração do mesmo.

A tecnologia tem nos ajudado com a preservação ambiental e tem se tornado parte da natureza, evoluindo como qualquer espécie viva. Ela pode sim se tornar vilã, mas o que nos resta é parar para avaliar e ver como podemos torná-las parceiras.

No Brasil, a biomimética ainda está ganhando terreno, mas já temos alguns casos, como o Votu Hotel, planejado pela GCP Arquitetura e Urbanismo, na Praia dos Algodões, na Península de Maraú, Bahia. A construção tem auto-sombreamento inspirado na capacidade de alguns tipos de cactos.

A arquitetura biomimética é uma corrente contemporânea que busca soluções sustentáveis na natureza, sem simplesmente replicar suas formas, mas através da compreensão das normas que a regem. Este enfoque multidisciplinar busca seguir uma série de princípios ao invés de se concentrar em códigos estilísticos.

Isso se dá através de atividades como o corte de árvores, o tratamento do solo, criação de animais domésticos, a construção de edifícios, estradas asfaltadas, perfuração de montanhas para a abertura de minas ou túneis, ou ainda o lançamento de resíduos orgânicos e industriais no ar, rios e mares.

O homem transforma a natureza para suprir as suas necessidades mais básicas. Dentre essas necessidades, podemos destacar: moradia e alimentação.

Muitas vezes os seres humanos exploram além da conta a natureza, provocando profundas alterações sobre o meio natural. Quando áreas inteiras de florestas são devastadas ou quando rios são profundamente poluídos, observa-se o impacto da sociedade sobre a natureza.

Na natureza é muito fácil de encontrar respostas para alguns desafios da criação arquitetônica. Afinal, áreas criadas pelo homem têm várias necessidades de unir, proteger, isolar, agregar, permitir encontros, espaços para trocas, espaços de quietude e etc.

Mas Meyers dá os primeiros passos para o que os cientistas chamam de “revolução biomimética” (bio: vida; mimétic: imitador). Consiste na cópia das propriedades da natureza para resolver problemas da sociedade, como a produção de energia. Além de melhorar tecnologias já existentes.

Chamada biomimética (dos grego, bios, vida, e mimesis, imitação), esta área multidisciplinar do conhecimento implica em observar para compreender melhor a engenhosidade das diversas formas de vida, usando-as como referência para diversas áreas.

Giane Brocco - A biomimética surgiu do grego bios (vida) e mimesis (imitação). Trata-se de uma ciência que aprende com os modelos da natureza e depois os emula, os usa como inspiração ou se baseia em seus processos para solucionar problemas humanos.