O que impulsionou tantas transformações na arte do Brasil em 1922?

Perguntado por: vmeireles . Última atualização: 15 de julho de 2022
4.6 / 5 20 votos . 12 colaboradores . 980 visualizações

O cenário artístico brasileiro vivia sobre fortes influências das vanguardas europeias. Nesse contexto, obras brasileiras estabeleciam profundo diálogo com a estética. O Brasil da época começava a se industrializar e os filhos da burguesia iam estudar na Europa. O evento ocorreu entre 11 e 18 de fevereiro de 1922.

No evento, havia um grupo que lutava contra os valores estéticos conservadores e não aceitava a submissão às propostas oriundas da Europa. Esse grupo atacava ferozmente os hábitos de vários brasileiros, principalmente da burguesia urbana, que eram fascinados pela moda, pelos hábitos e diversões do Velho Continente.

Consequências da Semana de Arte Moderna de 1922
Houve uma revolução na linguagem artística, já que se obteve uma ruptura com o passado. Certas novidades artísticas surgiram na Semana e se incorporaram à cultura nacional. Um exemplo é a poesia, que antes era apenas escrita, mas passou a ser declamada.

Na arte moderna vê-se a influência da Revolução Industrial, das máquinas a vapor, do aumento das velocidades, da fotografia, do cinema, do avião, do estudo da mente entre outros elementos que contribuíram para a mudança do pensamento e das atitudes.

A Semana de Arte Moderna de 22 é tida como o marco inicial do movimento modernista no Brasil. Ocorrida entre os dias 11 e 18 de fevereiro de 1922, contou com apresentações musicais, declamações de textos e poesias, e exposições artísticas, que buscavam romper com a tradição e apresentar novas formas de ver o mundo.

A Semana de Arte Moderna representou uma tentativa de renovação da linguagem artística e cultural, na busca de experimentação, na liberdade criadora e na ruptura com o passado.

“Sem dúvida o principal legado no mundo das artes plásticas foi a ruptura com a construção clássica, deixar o modelo clássico como referência e o olhar e registrar o Brasil tal qual é, suas cores, suas formas, seus grupos étnicos.

O movimento Tenentista (1922-1927) foi um desses momentos. Um outro grupo social, que passou a ter uma importância crescente, foi o dos operários fabris. A presença dos emigrantes, sobretudo italianos, introduziu mudanças importantes, como o sindicalismo, o socialismo e o anarquismo.

Os reflexos da Semana foram sentidos em todo o decorrer dos anos 1920, romperam a década de 1930, influenciaram toda a literatura produzida no Brasil durante o século XX e alcançaram a literatura contemporânea.

Foi um marco para a arte e a intelectualidade nacionais, promovendo a divulgação da nova forma de pensar e produzir, atualizando a inteligência brasileira; A Semana fundamentou o terreno para o modernismo de 1920, no qual se consolidou uma revolução artística e literária.

A noção de uma “arte moderna” surge no meio do século 19, lá por 1850, 1860. Nesse tempo passamos pelo auge da Revolução Industrial, que nasce na Inglaterra e se espalha pela Europa e depois pelos Estados Unidos, transformando os métodos de produção de bens de consumo, da produção de energia, etc.

A arte moderna seria o primeiro período artístico que abrangeria novas formas de se fazer arte, como a fotografia e o cinema, que surgiram durante a Revolução Industrial. A Modernidade foi um período de transformações vertiginosas e caóticas, que ficou marcada pela efemeridade e sensação de fragmentação da realidade.

Aproximação da linguagem popular e coloquial. Figuras deformadas e cenas sem lógica. Abandono da representação das formas de maneira realista. Arbitrariedade no uso das cores.

Entre as obras e artistas que marcaram esse período, destacaram-se a pintura art nouveau Di Cavalcanti, a poesia de Mário de Andrade e as esculturas de Victor Brecheret.

A Semana de Arte Moderna, também chamada Semana de 1922, foi uma manifestação artístico-cultural que contou com apresentações de dança, música, recital de poesias, exposições e palestras. O evento realizado no Teatro Municipal de São Paulo é considerado o marco do Modernismo no Brasil.

A Semana da Arte Moderna de 1922 tinha como uma das grandes aspirações renovar o ambiente artístico e cultural do país, produzindo uma arte brasileira afinada com as tendências vanguardistas europeias, sem, contudo, perder o caráter nacional; para isso contou com a participação de escritores, artistas plásticos, ...

Semana de Arte Moderna na literatura
Foram claras as mudanças que se seguiram nas produções literárias após a Semana de Arte Moderna, na poesia e na prosa as ideias e os sentimentos começaram a ser expressados de forma mais coloquial, com versos mais livres e pontuação subjetiva.

A Semana fez o papel de divulgação da arte moderna, que, por sua vez, cultivou o terreno para a consolidação de uma revolução artística e literária que tomou forma após 1922, quando foram lançados os manifestos de Oswald de Andrade e as obras fundamentais do Primeiro Modernismo brasileiro, tais como Macunaíma (Mario de ...

O legado do modernismo vai muito além dos quadros de Tarsila do Amaral e Anita Malfatti. Na arquitetura, são inúmeras as construções que rompem com o tradicionalismo estético da época, a exemplo da primeira Casa Modernista brasileira, ainda de pé no bairro Vila Mariana, e o famoso edifício do MASP, na Avenida Paulista.

Na Semana de 1922, a cada dia eram expostas diferentes artes, como a pintura, a escultura, a poesia, a literatura e a música. O evento fez com que um movimento artístico surgisse e ganhasse força no Brasil: o modernismo.