Como melhorar dor de garganta?

Perguntado por: upires . Última atualização: 16 de julho de 2022
4.6 / 5 13 votos . 13 colaboradores . 803 visualizações

faça repouso e evite forçar a voz; para umedecer a garganta, você também pode tomar um banho quente. É uma opção interessante para facilitar o repouso, especialmente durante a noite; medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios podem aliviar a dor de garganta.

Embora logicamente a duração da dor de garganta dependa da sua causa, na maioria das vezes a faringite é viral e dura de 3-5 dias. Na infecção bacteriana os sintomas regridem rapidamente após o início dos sintomas, em cerca de 24-36hrs, período após o qual o quadro deixa de ser contagioso.

Remédios caseiros para garganta inflamada

  1. Gargarejo com água morna e sal. ...
  2. Tomar chá de limão com mel e gengibre. ...
  3. Tomar chá de malva, sálvia ou alteia. ...
  4. Tomar vitamina de morango com mel.

Quando a dor de garganta é preocupante? Se a sua dor de garganta durar mais de 7 dias, sem se curar espontaneamente, busque atendimento médico. Não tratá-la pode levar a complicações, como o já citado câncer de garganta. Estando continuamente expostos aos ambientes, sempre haverá riscos de adquirir uma dor de garganta.

Como explica o especialista: “procure um médico quando a dor não passa ou está aliada a presença de pus, febre, dor no corpo e dificuldade para abrir a boca. A maioria dos casos indica uma doença infecciosa (viral ou bacteriana) e de fácil tratamento”, finaliza o doutor.

Se o problema não melhorar em até 15 dias, o otorrinolaringologista Silvio Keniti Iwamura recomenda procurar um médico: “Qualquer queixa relevante ou persistente deve ser investigada, podendo ser uma simples irritação local por abuso de bebidas geladas e friagem ou início de um quadro infeccioso”.

Quais são os principais sintomas?

  1. dor de garganta constante;
  2. dor na hora de engolir;
  3. dificuldade para engolir;
  4. inchaço;
  5. rouquidão;
  6. sensação de garganta arranhando;
  7. tosse;
  8. formação de pus nas amígdalas.

LARINGE

  • Irritação da garganta que não passa.
  • Rouquidão e mudança de voz, que persistem por mais de 15 dias.
  • Aparecimento de nódulo no pescoço.
  • Tosse constante.
  • Dor ou dificuldade para engolir.
  • Dificuldade para respirar.
  • Perda de peso inexplicável.

Tabagismo e alcoolismo
O ato de fumar é um dos principais fatores de risco para o câncer de garganta. No entanto, além do tabagismo em si, quando o hábito é combinado com o consumo frequente de bebidas alcoólicas, o risco de adquirir a doença se multiplica consideravelmente.

A ofensiva viral e a reação inflamatória despertada por ela afetam toda a mucosa da garganta, gerando vermelhidão, coceira, inchaço e dor. Na bacteriana, as amígdalas ficam inchadas e podem sediar uma placa esbranquiçada, o pus. A febre pode dar as caras em ambos os casos.

Mas há outros problemas que podem causar dor de garganta persistente. É o caso de doenças como febre reumática, nódulos na tireoide e, até, câncer de garganta (de faringe ou laringe), condições que podem se tornar graves se não forem tratadas a tempo.

Dor de garganta pode ser apenas um sinal de doença mais séria na região | Bem Estar | G1. A mais comum é a amigdalite, uma inflamação das amígdalas. Se a dor persistir por mais de uma semana, é preciso ir ao médico.

A garganta inflamada pode ser causada por uma gripe, resfriado, amigdalite, laringite ou faringite. A inalação de substâncias tóxicas também podem causar irritação na garganta, assim como o consumo exagerado de bebidas alcoólicas ou refluxo de alimentos para a garganta.

Inflamação e infecção na garganta
Uma inflamação traumática, por gritar muito no futebol, é um exemplo. Já a infecção é algum microrganismo que está 'agredindo' a mucosa e/ou as estruturas da garganta”, explica o otorrinolaringologista Rodrigo Pozzi.

O câncer de garganta, também conhecido como orofaríngeo, desenvolve-se na parte da garganta que fica logo atrás da boca, que os médicos chamam de orofaringe. Ela inclui a base da língua (a parte posterior da língua), o palato mole, as amígdalas, os pilares, as paredes laterais e posterior da garganta.

Os sintomas desses cânceres podem incluir:

  1. Ferida na garganta que não cicatriza.
  2. Tosse persistente.
  3. Dor e dificuldade para engolir.
  4. Dor de ouvido.
  5. Dificuldade para respirar.
  6. Perda de peso.
  7. Nódulo ou massa no pescoço.

A taxa geral de sobrevida em 5 anos para pacientes com câncer laríngeo é 60%. Os pacientes que se apresentam com doença nodal regional, têm uma sobrevida em 5 anos de 43%, e aqueles que se apresentam com metástases distantes têm sobrevida em 5 anos de 30%.

O câncer de garganta normalmente causa dor de garganta que aumenta com a deglutição, dificuldade para engolir e falar, e dor de ouvido. Algumas vezes, um caroço no pescoço é o primeiro sinal de câncer da garganta.

O câncer de laringe geralmente responde muito bem ao tratamento, sendo grandes as chances de cura total, principalmente se detectado em fases precoces. A taxa de cura nos casos iniciais são acima de 80-90%, sendo que, em 70% dos casos, a laringe é inteiramente preservada.

Ao assoar o nariz ou expectorar, verifique a coloração do corrimento. Não é algo nojento, mas sim importante para saber se a infecção é viral ou bacteriana. Assim, quando o muco é claro e fino, a infecção deve ser viral. Por outro lado, se ele apresentar um aspecto verde-escuro, ela pode ser bacteriana.