Como Karl Marx explica a sociedade capitalista?

Perguntado por: rpires . Última atualização: 16 de julho de 2022
4.4 / 5 17 votos . 8 colaboradores . 1491 visualizações

O entendimento que Marx faz do capitalismo se baseia na ideia de que toda sociedade se estrutura a partir do modo como os homens se organizam para produzir socialmente seus bens.

A sociedade para Marx compõe-se de um sistema complexo de relações sociais. Estas são organizadas de acordo com a produção econômica (agricultura, indústria, comércio) e realizam-se através de instituições (família, igreja, escolas, meios de comunicação etc.).

Classe social segundo Karl Marx
Como, segundo o autor, há apenas duas classes no modelo capitalista – os donos dos meios de produção e os trabalhadores – a divisão social do trabalho funciona de acordo com a exploração da mão de obra do proletariado pela burguesia.

O capitalismo é um sistema econômico que visa ao lucro e à acumulação das riquezas e está baseado na propriedade privada dos meios de produção. Os meios de produção podem ser máquinas, terras, ou instalações industriais, por exemplo, e eles têm a função de gerar renda por meio do trabalho.

O capitalismo para Marx é um determinado modo de produção cujos meios estão nas mãos dos capitalistas, que constituem uma classe distinta da sociedade. Segundo Marx os modos de produção estão nas mãos dos capitalistas, que constituem uma classe distinta da sociedade.

Para os marxistas, a sociedade moderna está marcada por interesses antagônicos, isso é, inconciliáveis, entre as classes que possuem e as que não possuem os meios de produção – tudo aquilo que é necessário para trabalhar: como as ferramentas, o espaço ou a matéria-prima.

Ao analisar a produção material da Europa, no século XIX, Marx identificou a marcante desigualdade e a exploração de uma classe detentora dos meios de produção (burguesia) sobre a classe explorada (proletariado), o que marcou profundamente a sua carreira.

A contribuição social de Marx, foi o livro O capital em 1967, cujo assunto tratado era o funcionamento da sociedade capitalista. Iniciando uma análise da produção de mercadoria, Marx descreve perfeitamente a descrição do sistema, sua evolução e suas transformações.

Duas classes básicas existem no capitalismo: a classe dominante, que controla o Estado e se apropria do excedente econômico na forma de lucros e juros, e a classe trabalhadora. Essas duas classes são definidas pelo papel que desempenham na produção, resultado direto da divisão social do trabalho.

O capitalismo é um sistema econômico que está baseado na propriedade privada dos meios de produção e tem como principais objetivos o lucro e a acumulação de riquezas. Este é o sistema mais adotado no mundo atualmente.

São características clássicas do capitalismo: Propriedade privada: consiste no sistema produtivo vinculado à propriedade individual. Lucro: é o principal objetivo capitalista, proveniente do resultado da acumulação de capital.

O trabalho na sociedade capitalista confunde-se com o emprego, bem como sua função deixa de estar ligada à produção de valores de uso para produzir valores de troca, beneficiando o detentor dos meios de produção, enquanto o trabalhador não tem acesso aos bens que produz.

O sistema capitalista começa a surgir com a decadência do sistema de produção vigente até então: o feudalismo. O feudalismo teve início no século V e durou até o século XV, quando o capitalismo começou a tomar forma.

A origem do capitalismo está relacionada com a formação, ainda na sociedade feudal, do trabalho assalariado e das grandes rotas comerciais. A origem do capitalismo pode ser encontrada no processo de desintegração do chamado feudalismo.

século XV

Surgiu no século XV, na passagem da Idade Média para a Idade Moderna, a partir da decadência do sistema feudal e do nascimento de uma nova classe social, a burguesia.

A sociedade moderna também se caracteriza como um mecanismo de troca e produção, um sistema de funções sociais hierarquizadas em razão de sua importância no conjunto do mecanismo social. As funções sociais são conectadas de modo desigual tanto aos benefícios do trabalho (retorno financeiro, tempo livre, etc.)

Qual é a teoria marxista? Na corrente de pensamento marxista, a análise é feita a partir de uma interpretação materialista das relações. Para os estudiosos, a forma como os donos do meios de produção se relacionam com os outros cidadãos determina toda a organização social.

O que Marx defendia? Em sua forma pura, o marxismo defende que pela revolução a classe operária deve tomar os meios de produção dos burgueses. O governo, por sua vez, deve suprimir os burgueses para que percam a hegemonia na manutenção do poder, que constituem juntos a infraestrutura e a superestrutura.

A principal contribuição de Karl Marx à economia foi um novo quadro descrevendo a economia como uma luta pelo poder entre as diferentes classes. Suas críticas ao capitalismo foram aceitas por muitos teóricos da economia. Seu trabalho também gerou inúmeros debates.

Dentre as transformações pregadas por Marx, a de maior impacto é a educação omnilateral, ou seja, capaz de desenvolver integralmente todas as suas potencialidades do homem. A combinação da educação intelectual com a produção material, da instrução com os exercícios físicos e estes com o trabalho produtivo.