Como Karl Marx analisa a sociedade?

Perguntado por: aveloso . Última atualização: 16 de julho de 2022
/ 5 10 votos . 14 colaboradores . 584 visualizações

As classes sociais, para Marx, surgem a partir da divisão social do trabalho. Em razão dela, a sociedade se divide em possuidores e não detentores dos meios de produção. As relações de produção regulam tanto a distribuição dos meios de produção e dos produtos quanto a apropriação dessa distribuição e do trabalho.

Para Marx os trabalhadores estariam dominados pela ideologia da classe dominante, ou seja, as idéias que eles têm do mundo e da sociedade seriam as mesmas idéias que a burguesia espalha. O capitalismo seria atingido por crises econômicas porque ele se tornou o impedimento para o desenvolvimento das forças produtivas.

Marx foi um dos primeiros pensadores a reconhecer o impacto sociológico da economia e estratificação de classes. Ele investigou os efeitos do sistema capitalista na vida dos trabalhadores, bem como a profunda relação entre desigualdade e cultura de classe.

A contribuição social de Marx, foi o livro O capital em 1967, cujo assunto tratado era o funcionamento da sociedade capitalista. Iniciando uma análise da produção de mercadoria, Marx descreve perfeitamente a descrição do sistema, sua evolução e suas transformações.

O que Marx defendia? Em sua forma pura, o marxismo defende que pela revolução a classe operária deve tomar os meios de produção dos burgueses. O governo, por sua vez, deve suprimir os burgueses para que percam a hegemonia na manutenção do poder, que constituem juntos a infraestrutura e a superestrutura.

Segundo a teoria marxista, a força de trabalho humana e os meios de produção constituem as forças produtivas, as quais, juntamente com as relações de produção (sociais e técnicas), constituem o modo de produção - comunista primitivo, asiático, escravagista, feudal, capitalista ou socialista.

Karl Marx foi um ferrenho crítico do modo de produção capitalista. Seu método de análise é o materialismo histórico dialético, caracterizado pelo estudo da história a partir da luta de classes.

Karl Marx, filósofo e sociólogo alemão que passou grande parte de sua vida em Londres, na Inglaterra, além de ter contribuído para o estudo social e econômico, foi o desenvolvedor de uma teoria política que deu alicerce ao socialismo científico.

O pensador alemão, um dos mais influentes de todos os tempos, investigou a mecânica do capitalismo e previu que o sistema seria superado pela emancipação dos trabalhadores.

Marx separa a divisão social do trabalho e a divisão manufatureira ou técnica do trabalho, criação do capitalismo. A divisão manufatureira desenvolve a força coletiva do trabalho e contribui para a dominação do capital sobre o trabalho.

A principal contribuição de Karl Marx à economia foi um novo quadro descrevendo a economia como uma luta pelo poder entre as diferentes classes. Suas críticas ao capitalismo foram aceitas por muitos teóricos da economia. Seu trabalho também gerou inúmeros debates.

Dentre as transformações pregadas por Marx, a de maior impacto é a educação omnilateral, ou seja, capaz de desenvolver integralmente todas as suas potencialidades do homem. A combinação da educação intelectual com a produção material, da instrução com os exercícios físicos e estes com o trabalho produtivo.

Junto a Friedrich Engels, elaborou uma teoria política que embasou o chamado socialismo científico. Suas contribuições para a Filosofia Contemporânea incluem, além da análise social e econômica, um novo conceito de dialética, baseado na produção material da humanidade.

Em oposição aos filósofos idealistas e aos economistas clássicos, Marx propunha a investigação do desenvolvimento histórico das formas de produção e reprodução social, partindo do concreto para o abstrato e do abstrato para o concreto.

Libertação dos trabalhadores
A ideia central de Marx era a convicção da derrocada da sociedade capitalista, à qual se seguiria a vitória do comunismo, libertando a classe trabalhadora da exploração por parte do empresariado.

A principal característica do marxismo é a busca da revolução do proletariado, já que essa classe social era explorada pela burguesia dominante.

O modo de produção capitalista está orientado para o lucro. Este é o resultado do investimento realizado por um empresário, depois da venda dos seus produtos ou serviços. No capitalismo, o motor das relações produtivas e sociais é o dinheiro.

As relações de produção regulam tanto a distribuição dos meios de produção e dos produtos quanto a apropriação dessa distribuição e do trabalho. Elas expressam as formas sociais de organização voltadas para a produção. Os fatores decorrentes dessas relações resultam em uma divisão no interior das sociedades.

No modo de produção capitalista o valor dos produtos não é determinado pelo seu uso, mas pelo valor de troca. Este é determinado pelo custo total para produzir uma mercadoria. Só o capitalismo dá lucro, diferentemente dos outros sistemas. O lucro não vem das relações comerciais, mas da produção.

Marx foi um pensador dos elementos fundamentais do capitalismo, como um sistema económico e as suas formas de desenvolvimento, analisando a mercadoria, a moeda, o capital, o trabalho, a mais-valia, a acumulação de capital e as crises.